35º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Títulos Confirmados

Entre os filmes confirmados para a 35ª Mostra estão O AMOR NÃO TEM FIM (Late Bloomers), de Julie Gavras (A Culpa é do Fidel); O FUTURO (The Future), de Miranda July (Eu, Você e Todos Nós); A ILUSÃO CÔMICA (L’Illusion Comique), de Mathieu Amalric; LOW LIFE, de Nicholas Klotz e Elisabeth Perceval; COMO COMEÇAR SEU PRÓPRIO PAÍS (How To Start Your Own Country), de Jody Shapiro (produtor de A Música Mais Triste do Mundo, de 2003); AS NEVES DO KILIMANJARO (The Snows of Kilimanjaro) , de Robert Guédiguian; ERA UMA VEZ NA ANATOLIA (Once Upon a Time In Anatolia), de Nuri Bilge Ceylan, que ganhou o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2011; OS CONTOS DA NOITE (Les Contes De La Nuit), de Michel Ocelot (mesmo diretor de Príncipes e Princesas, 2000, e As Aventuras de Azur e Asmar, 2006), CAVERNA DOS SONHOS ESQUECIDOS (Cave Of Forgotten Dreams), documentário em 3D de Werner Herzog; SLEEPLESS NIGHT STORIES, de Jonas Mekas (A Letter from Greenpoint);PATER, o novo filme de Alain Cavalier (Irène); CISNE, da portuguesa Teresa Villaverde (Os Mutantes);  MUNDO MISTERIOSO, de Rodrigo Moreno; e SORELLE MAI, de Marco Bellocchio (Vincere).

Mostra Brasil

Entre os filmes brasileiros, a 35ª Mostra apresenta os documentários CANÇÕES, de Eduardo Coutinho; CONSTRUÇÃO, de Carolina Sá;  VOU RIFAR MEU CORAÇÃO, de Ana Rieper; MARIGHELLA de lsa Grinspum Ferraz; e VAI-VAI 80 ANOS NAS RUAS, de Fernando Capuano.

O CÉU SOBRE OS OMBROS, de Sérgio Borges; OLHE PRA MIM DE NOVO, de Kiko Goifman e Claudia Priscilla; O PALHAÇO, de Selton Mello; e o primeiro longa de Caio Sóh, TEUS OLHOS MEUS estão entre as ficções a serem exibidas.

Livro Conversas com Scorsese

O 11º título da parceria Cosac Naify e Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, Conversas Com Scorsese, examina a carreira e a obra do cineasta americano pelas conversas com seu amigo de longa data, Richard Schickel.

Richard Schickel é autor, coautor e editor de 36 livros, além de roteirista, diretor e produtor de documentário. A maior parte de seu trabalho versa sobre cineastas e história do cinema.

Do diretor Martin Scorsese, a 35ª Mostra exibe a versão digital restaurada de TAXI DRIVER, que estreou no Festival de Cinema de Berlim deste ano, e o documentário UMA CARTA PARA ELIA (2010), sobre o diretor Elia Kazan, que tem retrospectiva no evento.

Retrospectivas

Em retrospectiva, estarão cerca de dez filmes de ELIA KAZAN, com a presença da viúva do cineasta, a escritora Frances Kazan. Nascido em 1909, em Constantinopla, atual Istambul, o diretor foi um notório nome do teatro da Broadway na década de 1940 e mais tarde desenvolveu também uma bem sucedida carreira no cinema, ambas como diretor. Trabalhou em diversos filmes com Marlon Brando, como UMA RUA CHAMADA PECADO, baseada no conto do Tennesse Williams (A Streetcar Named Desire) e SINDICATO DE LADRÕES (On the Waterfront). Kazan foi agraciado com dois Oscars de Melhor Diretor, em 1948 (A LUZ É PARA TODOS) e 1955 (SINDICATO DE LADRÕES), e um Oscar Honorário, pelo conjunto da obra, em 1999.

SERGEI PARADJANOV (1924-1990), um dos grandes nomes do cinema soviético ganha retrospectiva de seus filmes, além de uma exposição no MIS. PARADJANOV foi aclamado como um dos maiores cineastas soviéticos que surgiram após a época de ouro de Sergei Eisenstein e Alexander Dovzhenko e é considerado, hoje, um dos nomes mais criativos e originais da história do cinema mundial.

Outro diretor russo, ALEKSEI GERMAN, também terá uma retrospectiva na 35ª Mostra. São seis filmes do cineasta. Seus filmes, censurados pelo regime stalinista, abrangem as décadas de 70 a 90 com narrativas históricas e antibélicas premiadas em vários festivais internacionais.

Seções da 35ª Mostra e exibições especiais

Focada na diversidade cinematográfica e na revelação de novos talentos, a Mostra traz ao público uma seleção da produção cinematográfica mundial com cerca de 250 títulos divididos entre as seções Perspectiva Internacional, Competição Novos Diretores, com exibição de filmes de cineastas que tenham realizado no máximo seu segundo longa-metragem, Mostra Brasil, retrospectivas, homenagens e exibições especiais.

Festival da Juventude entra na sua 12ª edição de sessões gratuitas. A programação apresenta filmes de temática jovem com exibição em três salas: Cine Livraria Cultura, Cine Sabesp e MIS.

Além das seções da programação normal da Mostra, o evento traz uma série de exibições especiais ao longo de suas duas semanas, com apresentação de filmes clássicos e homenagens a nomes representativos do cinema.

Neste ano, a Mostra apresenta uma grande seleção de clássicos do cinema em cópias restauradas, seja em versões digitais ou 35 mm. Entre elas, TAXI DRIVER, de Martin Scorsese; 1900, de Bernardo Bertolucci; e LARANJA MECÂNICA, de Stanley Kubrick.

A Mostra assinala a comemoração do ano da Itália no Brasil e o centenário do nascimento de um dos maiores compositores italianos, Nino Rota, com a apresentação de LA DOLCE VITA, de Fellini e O LEOPARDO, de Lucchino Visconti, dos quais é autor da trilha sonora.

Nascido em Milão em 3 de dezembro de 1911, Nino Rota se tornou célebre pela autoria da música de filmes de diretores como Federico Fellini, Luchino Visconti, Francis Ford Coppola e Franco Zeffirelli. Ganhou o Oscar de Melhor Trilha Sonora, em 1974, por “O Poderoso Chefão II”. Além dos filmes acima mencionados, a Mostra exibe também o documentário de Mauro Gioia, A VISITA MARAVILHOSA (La Visita Meravigliosa – Viaggio In Italia Sulle Tracce Di Nino Rota). Este documentário é uma coletânia de memórias composta de entrevistas com pessoas que conheceram, trabalharam e estudaram com o compositor.

A música está na origem do mesmo documentário: quem o dirige é Mauro Gioia, cantor que lançou em 2008 o álbum “Rendez Vous chez Nino Rota”, com canções como “Gelsomina” (interpretada por Adriana Calcanhoto), tema de “A Estrada da Vida”. Durante sua turnê pela Europa, Mauro conheceu Jean Blanchaert, sobrinho do compositor que o apresentou a Prudenzina, a melhor amiga de Nino, na época (2008) uma senhora de 103 anos. Enquanto observava a conversa de Jean e Prudenzina, que contavam casos da vida de Rota, Mauro teve a ideia de fazer uma viagem atrás de outras pessoas que também tivessem conhecido o compositor para descobri-lo através destas memórias.  Entre os entrevistados estão Nicola Piovani, vencedor do Oscar de melhor trilha sonora por “A Vida é Bela” em 1998; Michelle Marvulli, um de seus melhores alunos no conservatório de Bari; Pier Luigi Pizzi, cenógrafo de “Romeo e Julieta”, de Franco Zeffirelli.

Outra das exibições especiais desta edição é a apresentação de LARANJA MECÂNICA, filme emblemático de Stanley Kubrick, 40 anos após a sua estreia. Com um tom futurista, a cidade de Londres é o local onde um grupo de jovens ataca o sistema e comete uma série de crimes, que Kubrick filma de forma irreverente, refletindo a sua época, entre o psicodélicoe a Pop Art.

Nesta data, a 35ª Mostra projeta ainda ERA UMA VEZ… LARANJA MECÂNICA (Il Était Une Fois… Orange Mécanique), de Antoine de Gaudemar, documentário que revisita o polêmico filme de Kubrick pelas palavras dos atores Malcolm McDowell e Warren Clark; da viúva do diretor, Christiane Kubrick, e do escritor Anthony Burgess, autor do livro “Laranja Mecânica”, do qual o filme é uma adaptação.

O documentário traz ainda depoimento do produtor e cunhado de Kubrick, JAN HARLAN, que é um dos convidados da 35ª Mostra e fará uma Master Class na FAAP.

Prêmio Humanidade

Na sua 35ª edição, a Mostra Internacional de Cinema homenageia o canadense Atom Egoyan com o prêmio Humanidade. Egoyan é diretor de um dos episódios de MUNDO INVISÍVEL, filme produzido pela Mostra que faz sua avant première no evento. Ao lado de Frédéric Boyer, Mahamat Saleh Haroun, Jorge Furtado e Elisabeth Perceval, Atom Egoyan integra o júri da 35ª Mostra.

Os Filmes da Minha Vida

Há três anos na programação da Mostra, o evento reúne depoimentos de artistas e personalidades sobre os filmes que exerceram alguma influência em suas vidas, acentuando-se mais o aspecto emocional do que técnico ou intelectual destas produções.

Para a edição da 35ª Mostra, já estão confirmados os depoimentos de Jorge Furtado (escritor e diretor), Marcelo Rubens Paiva (escritor e roteirista), Paulo José (ator), Beto Brant (diretor), Laís Bodanzky (diretora), Eduardo Coutinho (diretor),Isabela Boscov (crítica de cinema), Maria de Medeiros (atriz e diretora), Selton Mello (ator e diretor) e Marçal Aquino(escritor e roteirista).

Premiação e Júri

Após serem exibidos na 35ª Mostra, os filmes da seção Competição Novos Diretores mais votados pelo público concorrem ao Troféu Bandeira Paulista (uma criação da artista plástica Tomie Ohtake), que será oferecido ao melhor filme escolhido por um júri internacional.

Esse ano, o júri será composto pelo diretor canadense Atom Egoyan, o escritor francês Frédéric Boyer, o diretor africanoMahamat Saleh Haroun, a roteirista Elisabeth Perceval e do diretor e escritor brasileiro Jorge Furtado.

Outro prêmio oferecido durante a Mostra é o Prêmio Itamaraty, entregue pelo Ministério das Relações Exteriores. Os filmes premiados são selecionados por um júri composto por profissionais distintos do cinema brasileiro, cujos nomes serão definidos pelo Itamaraty.  Concorrem ao prêmio todos os filmes brasileiros exibidos dentro da programação do evento:

a) Melhor Curta-Metragem: R$ 15.000,00 (quinze mil reais)

b) Melhor Longa-Metragem de Documentário: R$ 30.000,00 (trinta mil reais)

c) Melhor Longa-Metragem de Ficção: R$ 45.000,00 (quarenta e cinco mil reais)

Itinerância da Mostra no interior de São Paulo

A 35ª Mostra Internacional de Cinema, em ação conjunta com o SESC SP faz, neste ano, a Itinerância SESC da Mostra, com 10 filmes selecionados entre as obras que integrarão a edição de 2011. Serão nove cidades do interior de São Paulo que receberão essa seleção de filmes: Campinas, Ribeirão Preto, Rio Preto, Santos, São Carlos, São José dos Campos, Sorocaba, Araraquara e Piracicaba.  Os filmes serão exibidos nas unidades do SESC dessas localidades.

Projeções

A tecnologia utilizada para as projeções dos filmes da 35ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo serão: 35mm, DCP e digital, sendo este último exibido pela MOBZ e pela AUWE, garantindo qualidade superior para o espectador. O sistema DVCAM não será empregado nas exibições.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s